FPB – FEDERAÇÃO PARANAENSE DE BICICROSS

A FPB foi fundada em 19/12/1987 através do desmembramento da modalidade do Bicicross da FPC – Federação Paranaense de Ciclismo, o Bicicross foi acolhido pela FPC em setembro de 1983 e desde então desenvolveram um trabalho paralelo e devido ao grande crescimento e resultados expressivos desse novo esporte já no primeiro anos de existência, em todo território nacional houve uma evolução o que justificava-se plenamente a independência de tal modalidade, assim foi baseado no § 2° do artigo 38, do Decreto n° 80.228/77 e mais a Resolução CND n° 15/86 de 20/10/1986, em seus artigos 5 e 6, foi solicitado por 7 clubes filiados uma abertura para que o esporte se tornasse independente, podendo tomar seus próprios rumos, então em 19/12/1987 o Bicicross deixou de fazer parte da FPC, se tornando FPB e começou a sua história filiada a CBBx – Confederação Brasileira de Bicicross, colhendo suas glorias com suas próprias forças.

A história de glorias da FPB completará 30 anos em 2017, e desde então vem a todo esse tempo fomentando o esporte e impulsionando a modalidade Bicicross no estado do Paraná, trabalhando sem fins lucrativos para os pilotos e equipes, assim com regido em nosso estatuto respeitando a idealização de seus fundadores em 1987.

 

O Reconhecimento COB e ME de uma entidade que trabalha pelo esporte 

No dia 23 de maço de 2011 a Confederação Brasileira de Mountain Bike(CBMTB), a Confederação Brasileira de BMX(CBBX), a Confederação Brasileira de Ciclismo(CBC), o Comitê Olímpico Brasileiro(COB) e o Ministério do Esporte(ME) se reuniram em Brasília para acertar algumas arestas no relacionamento entre as entidades e atletas.

Marcelo Coelho(CBMTB). Marcus Vinicius(COB), Marco Aurélio Klein(Ministério do Esporte),
José Luiz Vasconcellos(CBC), Francisco Silveira “Quico” (CBBX).

Existiam algumas dúvidas por parte dos atletas em relação à participação, pois a Confederação Brasileira de Ciclismo divulgou inicialmente que caso houvesse participação de atletas em outras entidades o mesmo seria punido. Algumas Federações estaduais filiadas a CBC seguiram a entidade e a divulgação da informação acabou gerando uma grande confusão nacional e internacional nos mais periféricos meios de comunicação da modalidade e na parte mais interessada, o atleta.         

A maioria das entidades filiadas a CBC divulgavam ainda que as entidades (CBMTB ,CBBX e suas filiadas) não eram oficiais e sorrateiramente titulavam de “piratas”. As autoridades presentes entenderam que os atos praticados pela CBC e suas filiadas prejudicavam o desenvolvimento do atleta e por conseqüência da modalidade em geral. 

A reunião fluiu tranqüila, pois as entidades entenderam que as modalidades precisam crescer e não podemos mais esperar. O Brasil está à beira de uma Olimpíada e muito pouco foi feito efetivamente para gerar um resultado positivo.

Abaixo segue o documento que foi redigido e assinado pelos presentes que acaba de uma vez por todas com as punições, pirataria ou entidade não oficial.